De Recife à Petrolina, os autores perseguem o ducto e os contornos dos caracteres abertos por letristas locais em busca da essência da letra Pernambucana. Através do fluxo dos pincéis dos abridores, anuncia-se de tudo um pouco. Amola-se, concerta-se, costura-se, grava-se na hora. Concerta-se Jesus, vende-se água, cafezinho, cigarro, cartão, drop ́s, cachorro quente de charque e churrasqueira B.B.B – boas, bonitas, baratas. E letras – Coloridas, rudes, vibrantes, urbanas, agrestes e sertanejas, brilhando sob o sol de um verão sem fim.

FINIZOLA, Fátima. Abridores de letras de Pernambuco: um mapeamento da gráfica popular. São Paulo: Blucher, 2013.